sábado, outubro 08, 2011


Educação...Onde os fracos não têm vez!

2

Qual professor nunca parou em meio a sua jornada e pensou em desistir? Em jogar tudo pro ar e mudar de profissão, quem sabe vender tomate na feira...
Pois é bem assim que me sinto às vezes.
Se você está se sentindo assim hoje não fique triste pensando que é um estado permanente, pois tenho convicção de que todo professor tem um estado de espírito oscilante.
Essa falta de motivação, essa descrença essa revolta e indignação são perfeitamente normais a nossa classe, por isso hoje eu não vou vir com discurso pronto e acabado, frases de efeito nem nada disso... É difícil mesmo! Concordo contigo em gênero número e grau. E aproveito pra expor minha revolta do dia citando frases que ouvi em reuniões, corredores de escola e agora nas redes sociais.
Está cheio de colega de serviço que não planeja aula e chega à escola perguntando com a maior cara de pau.
_ O que você vai dar hoje? Será que serve pra minha turma?
Têm outras que dizem:
_ Eu só to aqui com essas pestes por causa do dinheiro no fim do mês que diga se de passagem é uma miséria!
Outras esbravejam...
- Eu não agüento mais, o governo não faz nada e esses debilóides estão me deixando louca!
A situação piora nos coletivos. E piora muito!
Venda de ligerie, catálogos de perfumaria e professoras fazendo crochê no momento do planejamento.
A correria pra assinar uma folha antes da reunião acabar pra poder ir pra casa de uma vez e parar de fazer o que consideram trabalho chato. Pra que planejar?
Ah, não posso esquecer os diretores favorecidos e os vice-diretores mais favorecidos ainda que acreditem mal sabem desempenhar a função, mas o prefeito colocou lá, então ta bom e isso é matéria para o texto 3 de UMA PESTE CHAMADA FAVORITISMO.
Partimos para a orientação que em muitas escolas não faz mais que desorientar com conceitos vagos e idéias impostas.
Sem falar que muita gente ainda confunde democracia com anarquia. Acham que escola não precisa de regra nenhuma. Em contra partida boa parte sente vontade de voltar aos tempos da palmatória.
E retornamos aos professores desmotivados que nunca aceitam sugestão dos motivados e como a proporção é de 100 desmotivados pra 1 motivado advinha à vontade de quem prevalece???
Pois é meus queridos a desesperança assola e vamos observando, analisando e tentando nadar contra a corrente. E é bem ai que a esperança renasce na certeza que a luta precisa ser diária pra fazer a vida ter sabor. Certo é que lutar coletivamente é melhor, mas se o grupo não deseja contribuir quem sou eu pra obrigá-los a isso?
Não querem ter esperança... Então não tenham... Há coisas que não se pode impor e esperança é uma delas.
Colho cada palavra da boca de professores que às vezes emudeço, paro alguns instantes, a lágrima chega a correr pelo canto do olho e penso:
- Se eu fosse burra sofria menos, se fosse alienada nada disso me importaria!
Outro instante parada e penso:
- Quem teria me ensinado a pensar, analisar, ir contra a corrente, ter opinião própria? Seria tão mais fácil sucumbir e achar normal ficar reclamando e achando que estou fazendo alguma coisa.
Mas o que eu faço mesmo pela educação de meu País? Qual é mesmo a minha grande contribuição que me dê direito de ir pra sala de aula de qualquer maneira e tratar meus alunos por pestes. O que vou fazer em um coletivo de professores? Ver revista de moda enquanto meia dúzia tenta trabalhar e eu faço cara e nojo pra essa meia dúzia chamando-os de bobos?
Sinto muito... É demais pra mim.
Ter que suportar ouvir muitos que nada fazem reivindicando um respeito ao qual não se dão? Não posso conceber, realmente não posso!
Conheço alguns professores excelentes , que são referência pra seus alunos, que motivam, orientam, vendem sonhos e esperança... Reclamam também, mas de uma forma consciente e não sendo levados pelas correntes da vida. É uma reclamação justa, dentro dos espaços cabíveis com os termos adequados.
Os reconhecemos sábios, verdadeiramente mestres, seres pensantes.
Colhi a fala de minha filha de 14 anos outro dia.
- Eu não quero ser professora!
Isso me dói na alma, não pq ela não possa escolher sua profissão, mas pelo motivo que a fez ter a resolução.
Por que minha Filha?
- Por que só vejo professor reclamar 24 horas por dia. Não quero exercer uma profissão péssima, que todo mundo que faz detesta... E tem muito professor ruim também que não dá aula direito...
- Mas ... ( não consegui concluir a frase)
- Oxe ( ela só diz oxe quando tem convicção) no facebook tem professor que parece que é menor do que eu só escreve besteira e reclama, reclama e reclama ...
Bem, não vou transcrever todo diálogo, mas passei horas (sem exagero nenhum) tentando mostrar pra ela o lado bom da profissão do qual ninguém fala.
Ela externou sua opinião mais uma vez.
- Se ser professor fosse bom alguém falava bem... Nunca vejo ninguém dizer que é bom e tem um monte que não sabe dar uma aula que preste fica lá fazendo hora enrolando a gente.
É meus colegas, a desesperança é contagiosa.
E sala de aula é espaço ONDE OS FRACOS NÃO TÊM VEZ!
É espaço de esperança .Eter esperança não é pra fracos!
Talvez nesse post eu tenha diversas opiniões contrárias a minha e se por ventura alguém tem uma opinião contrária vai escrever comentários gigantescos e convocar mil outros pra comentar também...
Grande parte da população ama uma crítica destrutiva e sem argumentação.
Muitos que concordam comigo e presenciam muitos “profissionais” tendo atitudes que citei aqui vão ficar calados, pois não criamos o hábito de concordar com as pessoas e escrever sobre isso. Estamos no mundo das críticas destrutivas... Estamos presenciando o massacre em rede dos sonhos de da esperança.
Eu esperava que a minha classe tivesse bem mais a compartilhar nas redes sociais que conceitos vazios, apologia ao uso de álcool, ao culto ao corpo, ao desprezo pela família.
Somos críticos e pensantes? Intelectuais ?
Somos apenas seres humanos com uma responsabilidade enorme no mundo a de transmitir esperanças, vender sonhos, lutar por mudanças, incentivar as marchas, reivindicar direitos, aguçar a curiosidade, transmitir um legado as novas gerações, mas estamos demasiadamente cheios de certezas de modo que não julgamos necessário ouvir o outro ... Não se esse outro tem uma visão otimista da vida e do trabalho.
O outro perdeu a importância meus queridos!
O outro não importa mais!
É tempo do eu, eu e eu...
Não posso me calar diante disso! Não conseguiria me calar diante dessa situação!
Eu protesto, quero dignidade e valorização ao professor, quero melhores condições de trabalho, quero 10% do PIB pra educação, mas acima de tudo quero profissionais de verdade que se comprometam com o ser professor e que tenham convicção de que como formadores de opinião não podemos sair por ai compartilhando murmuração e desesperança.
Que cumpram seu papel com amor, empenho e dedicação.
Ficamos desmotivados às vezes? Sem dúvida ficamos, mas isso não nos dá o direito de sair por ai apregoando que nada tem mais jeito, que nada vale a pena ...
Concluo reafirmando como fiz algumas vezes em outros posts...
Eu sou professora e me dou ao luxo de ter esperança
E deixo pra reflexão uma das muitas lições de um educador de verdade.

Uma das tarefas do educador ou educadora progressista, através da análise política, séria e correta, é desvelar as possibilidades, não importam os obstáculos, para a esperança, sem a qual pouco podemos fazer porque dificilmente lutamos e quando lutamos, enquanto desesperançados ou desesperados, a nossa é uma luta suicida, é um corpo-a-corpo puramente vingativo.Paulo Freire

Por Gi Barbosa
 Ideia Criativa

2 comentários:

Gi Barbosa - Ideia Criativa disse...

Oi Marcinha!
Fico feliz que esteja compartilhando nosso modo de pensar e que esteja nos dando apoio através de espaço em seu blog.
Seu blog continua super lindo estamos aqui babando em tanta fofura rsrs.
Beijokas Gi

Fábia disse...

Ola, Marcinha acho que o termo anarquia deveria ser substituído por a anarquia é uma ideia politica que expressa ordem,responsabilidade e melhoras sócias,infelizmente é usada popularmente passando uma ideia falsa e que foge totalmente da sua ideia original...o problema da escola entre outros são alunos que não querem estar lá e são obrigado,professores despreparados que não querem estar lá,governos omissos que não cumprem nem as leis,pais de alunos que depositam na escola a responsabilidade que é da familia...mas tem o bom tbm que é gente como a gente apaixonado pelo que faz...parabéns pelo seu blog achei ele muito lindo, interessante e inteligente...beijinhusss

Postar um comentário