terça-feira, janeiro 08, 2013


MENINOS X MENINAS:diferentes no brincar?

4

COISA DE CRIANÇA?


Predileção de meninos por itens do universo feminino faz parte do crescimento infantil
Veja como os pais devem lidar com essa situação
Brinquedo ajuda a criança a desenvolver habilidades

Meninas brincam de bonecas e meninos gostam de carrinhos, certo? Mas, se o interesse de uma criança foge desse padrão, tido pela sociedade como normal, não é preciso se preocupar.
A predileção de meninos por artigos do universo feminino é comum até aproximadamente os oito anos de idade – época em que a criança ainda não entende os valores sociais.
“Esse interesse é normal e não quer dizer que ele tenha uma tendência homossexual, mas sim que é curioso e que deseja conhecer o que o rodeia. É por meio da brincadeira que a criança desenvolve suas habilidades físicas e motoras”, explica Teresa Ferreira, psicopedagoga da Unifesp.
Respeitar a criança e participar da brincadeira com naturalidade são as recomendações da especialista para os familiares. “Geralmente os pais têm mais dificuldade para lidar com essa realidade do que as mães. Punir não é a solução, pois na escola o menino também terá acesso aos mesmos objetos”, diz Teresa.
A curiosidade da criança também é determinada pelos exemplos que recebe em casa. Se hoje o pai participa das tarefas domésticas, é normal que seus filhos sigam o modelo, o que é positivo futuramente para a criança.

MENINO BONECA

Para especialistas, os pais não devem reprimir ou brigar com os meninos que apresentam algum interesse por brinquedos ou itens tipicamente femininos, como bonecas e artigos de casinha.
“Independentemente do objeto usado, a brincadeira estimula o desenvolvimento da criança. Os pais devem participar da brincadeira, e não proibi-la, pois o interesse por itens femininos é normal durante a infância, até os sete e oito anos de idade”, diz Teresa.
O exemplo dos pais é um dos fatores que influenciam o interesse do menino. Uma alternativa é introduzir à rotina da criança atividades masculinas. “O contato do pai com o filho é importante. Como muitas vezes isso acontece com pouca frequência em algumas famílias, recomendo que esse contato seja intensificado nos finais de semana, por exemplo”, diz a psicopedagoga.

MENINA MOLECA

Jogar futebol ou subir em árvores também não são brincadeiras só de meninos. “Hoje as escolas incentivam a prática de esportes para as meninas, inclusive modalidades tradicionalmente masculinas. E isso não quer dizer que elas perderão sua feminilidade, principalmente se a criança gosta do que está fazendo”, explica Teresa.

HORA DE BRINCAR

Além de divertir a criança, o brinquedo pode ser um objeto de aprendizado. Durante a brincadeira, o pequeno desenvolve a fala, conhece formas geométricas, cores e números de forma lúdica.
Ao receber diferente estímulos, seja na escola, seja em casa ou numa brincadeira, a criança assimila informações com mais facilidade. Filmes e livros também ajudam no desenvolvimento infantil.

Indicação de filmes que reforçam o tema aqui discutido:

O filme francês “Minha Vida em Cor-de-Rosa”, de Alain Bertiner, conta a história de Ludovic, um menino que acredita ser uma menina e lida com a rejeição dos pais e amigos.

Em “Tomboy”, longa francês de Celine Scianma, Laurie passa a se vestir e agir como um menino.

Brinquedos recomendados por faixa-etária:

0 a 12 meses – Brinquedos coloridos, sonoros e de fácil manipulação
1 a 3 anos – brinquedos que estimulem a locomoção e equilíbrio. Brinquedos para empurrar e puxar, blocos para empilhar e encaixar, bonecos grandes, triciclo, peão
3 a 5 anos – Brinquedos que estimulem a fantasia. Livros de histórias ilustrados, massinha de modelar, fantoches, jogos de montagem, fantasias e livros para pintar
5 a 7 anos – Brinquedos que estimulem a alfabetização. Livros com textos curtos, quebra-cabeça, bonecas e carrinhos menores
7 a 10 anos – Atividades mais complexas e que envolvam o raciocínio lógico. Kits de profissões, como mecânico ou médico, skate, patins, bicicleta, pipa e jogos com regras mais complexas


Fonte: Jornal Metro São Paulo – sexta-feira, 11 de maio de 2012 – Marianna Pedrozo 

4 comentários:

Gracita disse...

Olá Márcia@
Vim retribuir e agradecer sua visita. Obrigada por estar seguindo meu blog. Uma abordagem excelente e muito bem fundamentada. Parabéns!Beijos!gracita

marquecomx disse...

Olá Márcia, como vai?

Vejo que o Educadores Multiplicadores já segue seu excelente blog e deve ter deixado o convite para participar da família dos Multiplicadores como a Gracita, Multiplicada. Quando quiser divulgar seu blog e se juntar aos mais de 100 amigos professores fique a vontade, é só cadastrar seu blog gratuitamente.

http://www.educadoresmultiplicadores.com.br/2012/06/seja-um-educador-multiplicador-divulgue.html

Fiquemos na Paz de Deus e até breve

Rita disse...

Olá minha querida adorei conhecer seu
espaço tão gratificante, bom mesmo, já
vou ficando para ver melhor
Deixo um abraço com carinho
Bjuss
Rita!!!!

http://cantinhovirtualdarita.blogspot.com.br/

Rosangela Vali disse...

Oi!
Gostei da postagem...direta e objetiva.É bom termos acesso a eses tipos de situações na infância de meninos e meninas.
Criança precisa aprenderno coletivo,aguçar sua curiosidade e ter iniciativa na hora de bnrincar.
Um abraço.

Postar um comentário